What Happened, Miss Simone?

23:58

Gênero: Documentário
Direção: Liz Garbus
Duração: 1h42min
Sinopse: A vida da cantora, pianista e ativista Nina Simone (1933-2003). Usando gravações inéditas, imagens raras, diários, cartas e entrevistas com pessoas próximas a ela, o documentário faz um retrato de uma das artistas mais incompreendidas de todos os tempos. (Fonte: AdoroCinema)

















What Happened, Miss Simone? é um documentário da Netflix e da Radical Media que a vida e a carreira de um dos nomes mais importantes da música negra norte-americana. Nina Simone nasceu como Eunice Waymon em 1933 no sul dos Estados Unidos. Ela é uma mulher negra que carrega em seu rosto todos os traços de sua etnia e vive em meio há uma sociedade que está no auge da segregação racial e isso acaba influenciando fortemente não apenas sua carreira como também sua vida pessoal. Talentosa (a voz dessa mulher!), alegre, instável, sensível, engajada, apaixonada, polêmica, gênio, verdadeira e única; o documentário de Liz Garbus nos apresenta Nina como ela mesma e nada mais.

"Liberdade pra mim é não ter medo", em tradução livre, é uma das primeiras frases que ela diz no início desse filme. Miss Simone é revelada e explorada como uma mulher de muitas facetas. Através de relatos de sua família e amigos, além de entrevistas, vídeos e falas da própria artista, assim como cartas e diários que ela manteve durante toda a sua vida, passamos a ter noção de tudo aquilo que ela passou, tudo o que enfrentou, aprendeu e sofreu para chegar onde chegou, para terminar onde terminou e para tocar tantos corações, almas e intelectos com suas melodias e palavras. E isso é contado com um nível de verdade e franqueza que parece se encaixar perfeitamente na personalidade que é apresentada.



A criança e adolescente que cresceu no sul dos Estados Unidos estudou desde os quatro anos de idade para ser uma pianista clássica; seu objetivo era ousado para a época: ser a primeira pianista clássica negra da América. Mudou para Nova York para estudar música, mas a situação financeira lhe forçou ao mundo da música pop e dos shows em bares e boates. Sua música passa, então, a ser uma mistura única de blues, jazz, clássico e R&B. A partir desse momento é possível delimitar os traços de sua personalidade e as complexidades que seu talento e genialidade traziam para si e para as pessoas que a rodeavam.

Talvez a mensagem que mais se apresente no conjunto deste documentário é como durante sua vida Nina Simone teve vários momentos decisivos, como ela teve diferentes fases, como ela realmente foi várias mulheres. Em um primeiro momento temos a garota que está adentrando o mundo do entretenimento, um tanto quanto realista financeiramente e romântica em relação a sua carreira, o que acaba transparecendo em suas músicas. Logo depois as complexidades começam a aparecer; Nina conhece seu futuro marido Andrew Stroud, um violento ex-policial nova-iorquino, que passa a ser seu empresário. "Andy" é violento e aproveitador, o que resulta em Nina está sempre trabalhando além de sofrer constantemente com violência doméstica, situação que a deixa depressiva e ainda mais instável em suas relações com sua banda e amigos. O nascimento de sua filha, Lisa Simone, ocorre no auge de sua carreira e um pouco depois vemos o amadurecimento político de Miss Simone e seu envolvimento cada vez mais forte e radical no Movimento pelos Direitos Humanos, com sua amizade e proximidade com líderes negros como Malcom X, Stokely Carmichael e Martin Luther King. E é essa aproximação que acaba levando a sua decadência artística e pessoal, tão apaixonada, radical e natural quanto toda a sua vida.

What Happened, Miss Simone? escancara a forma como Nina Simone era, o lado bonito e o lado feio, sem se preocupar em esconder a polêmica que parecia ser tão natural dessa mulher, aos olhos de sua família e amigos e até mesmo dela própria. E os contrastes ficam tão claros na produção que parecem forçar as pessoas a verem que ela era muito mais do que qualquer um poderia pensar. A primeira mulher a escancarar o sofrimento negro em uma música (Mississippi Goddam, abaixo), uma das mais ferrenhas e radicais à advogar pelos direitos civis era a mesma mulher que continuava a viver em um relacionamento abusivo, que tinha surtos depressivos esporádicos e que deixava seu temperamento intempestivo prejudicar sua relação com sua filha e amigos, além de, nesses momentos, adotar uma postura esnobe e ignorante com o seu público.


A franqueza supracitada é algo presente no documentário desde o seu início, mas ela também é acompanhada de uma sutileza e sensibilidade tocantes. E isso pode ser encontrado na forma como as diversas músicas da Nina que foram utilizadas durante o longa, a forma como a seleção delas se encaixavam nos momentos de sua vida  além da fotografia delicada e certeira para emocionar. Seja nos momentos de alegria, de encantamento ou de tristeza e indignação, os recursos técnicos são encaixados com perfeição para que o público consiga retirar o necessário das palavras e das ações de cada uma das pessoas na vida da artista e dela mesma os pequenos, grandes e até mesmo nebulosos significados.

O documentário What Happened, Miss Simone? merece ser assistido. Ele consegue responder a própria pergunta de uma forma simples, franca e ao mesmo tempo respeitosa com a pessoa que está apresentando. O espectador consegue entender o porquê da vida de Nina ter sido como foi, consegue adentrar um pouco em seus pensamentos, em sua complexidade, em seus dramas, seus traumas e as consequências de cada um deles para ela. Liz Garbus mostra essa mulher que foi um ícone da música negra norte-americana, um símbolo de sua época, explica seus posicionamentos e ideologias e deixa mais do que claro o porquê conhecer a história de Nina Simone é importante. Afinal, ela foi uma mulher, negra, ativista e mais complexa do que sua sociedade estava pronta para lidar, que teve voz e espírito para ser ouvida e notada por onde passasse, seja no âmbito artístico, pessoal ou político, em meio ao Estados Unidos segregacionista.


Trailer
 

You Might Also Like

27 comentários

  1. Nossa que história de vida, eu não sabia que tinha esse documentário no netflix mas também não sou muito dada a documentários mas irei dar uma procurada e quem sabe eu assista na íntegra. Esta ótima sua postagem parabéns.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    adorei sua publicação, o documentário parece ser de fato muito bom, uma grande história de vida, vou procurar para assistir. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  3. Hi baby, tudo bem? esse documentário é super elogiado e estou querendo assistir há tempos! agora lendo sua resenha a vontade de assisti-lo aumento muito mais! parabéns pela ótima resenha! <3

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem? Adoro documentários da Netflix, são os melhores. Ainda não tive oportunidade pra assistir este, mas sua resenha só me deixou com mais vontade ainda. Vou tentar ver ainda essa semana!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Gabby, tudo bem? Eu já assisti esse documentário e amei, achei super bem feito, mostra bem a história dela e de uma forma gostosa de assistir. Fiquei com vontade de rever,rs. Que bom ler uma resenha a respeito, dificilmente vejo resenhas de documentários por aí. Adorei.

    Beijos. ^_^
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  6. Vi a divulgação no próprio Netflix esses dias e achei bem interessante. Não cheguei a assistir, mas pretendo.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  7. Fazia tempo que não lia uma crítica tão bem escrita. Parabéns. Alto nível, com certeza. Eu não conheço a cantora, mas me interessei pelo documentário depois de você tê-la apresentado como um ícone tão importante para a luta contra a segregação racial. Gostei muito quando mencionou que essa personalidade parece ter sido "várias mulheres". Admiro artistas capazes de expressar seu melhor e pior com igual honestidade. Com certeza, pretendo assistir a esse documentário.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oiii, tudo bem?
    Nossa, que texto maravilhoso foi este? Fazia um belo tempo que não via um texto assim em um blog no qual me deixou bem contente. Confesso que realmente não conhecia este filme e fiquei com aquele gostinho de quero mais hahaha Porque realmente quero assistir, acredito em minha opinião que nós mulheres podemos ser várias, em relação ao lado positivo.
    Beijão

    ResponderExcluir
  9. Oiee,
    Eu não tenho netflix, e por isso fico meio por fora, mas se eu tivesse certeza que eu assistiria esse documentário, achei a historia incrível!

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Esse documentário é lacrador, poético, visceral, lindo! Eu vi e amei. Que mulher é essa? Como você bem descreveu em seu texto, merece, deve, tem que ser assistido. Além disso, traz o ativismo da mulher negra, algo fundamental.

    ResponderExcluir
  11. Esse filme é SENSACIONAL!!! Já assisti duas vezes. Hahaha Gostei muito de tudo, da montagem, do roteiro, sem falar na história, que por si só já é perfeita. :)

    ResponderExcluir
  12. Sempre vejo no netflix e sempre passo. Acho que porquê não conheço muito a artista. Mas depois de seu post certamente irei considerar assisti-lo em breve.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. A história dela parece ser fascinante, mas não curto muito documentários e não assistiria a um sobre uma pessoa de quem nunca ouvi falar, mesmo uma pessoa aparentemente tão complexa como Nina Simone realmente parece ser. Fiquei chocada com isso dela continuar vivendo um relacionamento abusivo mesmo tendo feito tantas coisas importantes, ao mesmo tempo que era uma ativista e lutava poe direitos para os negros aguentava isso em casa.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  14. Já faz algum tempo que estou para assistir esse seriado. Adorei a sua resenha e era isso que talvez faltava para me fazer assistir hoje mesmo.

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?
    Guria, estou apaixonada pela sua escrita! Essa resenha ficou linda e bem informativa. *-*
    Eu sou super fã da Nina, ela é linda e um grande exemplo. O documentário já está na minha lista. Mas, valeu pela dica super útil. Espero que todos possam assisti-lo.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  16. Ainda não conhecia o documentário mas gostei tanto da suas palavras o descrevendo que vou procurar aqui pra assistir.

    Abraços,
    Gabriel
    Frases, Trechos e Pensamentos

    ResponderExcluir
  17. Que legal esse filme, vou ver no Netflix! Ainda mais porque o nome dela é o mesmo da minha avó querida que já está do outro lado da vida, sem dúvida vou vê-lo em breve!Valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  18. Não sou muito apaixonada por documentários, para ser bem sincera costumo fugir deste tipo de longa.

    Tuas palavras me obrigaram a desfazer a cara feia e dar lugar para a curiosidade e interesse. Então é bem provável que logo eu assista :D

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Eu não conhecia a cantora, apesar de não gostar muito de documentários e não ter Netflix, achei interessante a postagem.
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?
    Confesso que não costumo ver documentários, mas fiquei animada com esse e curiosa para conhecer mais sobre essa mulher, que até então não conhecia nada sobre.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  21. Gabby, post sensacional, fiquei muito curiosa para conhecer a história de Simone e todos os obstáculos que ela teve que ultrapassar! Bjs

    ResponderExcluir
  22. Olá,
    Não tenho costume de ver muito documentário se tratando de vida de cantores, mas gostei desse apresentar tantos lados de uma artista. Parece ser bem sensível e uma boa homenagem.
    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir

  23. Gente, mas que resenha perfeita, muito bem escrita bem focada nos detalhes, muito bem feita!!!
    Admito que não conheço ela, mas achei este documentário muito interessante.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  24. Parabéns pelo texto maravilhoso!
    Eu não sabia que o documentário estava disponível na Netflix. Irei procurar para assistir. Após ler sua resenha, impossível não desesjar conhecer melhor a Nina.

    ResponderExcluir
  25. Oie, tudo bem? Documentários sempre são interessantes, ainda mais quando nos mostra acontecimentos que não fizeram parte da nossa cultura ou fizeram de outra forma. Esse período da história nos EUA é bem rico em detalhes. Ótimo post. Beijos, Érika

    - www.queroseralice.com.br -

    ResponderExcluir
  26. Adoro documentário, mas esse eu nunca vi, fiquei muito curiosa, já quero muito assitir, ótimo post :)
    http://souadultaagora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. não sou fã de documentários, mas alguns ( como esse) parecem bons, fiquei curiosa, e acho bacana a netflix investir nessa parte.

    ResponderExcluir

Popular Posts

recent posts

Flickr Images