Spotlight - Segredos Revelados

20:46

Título Original: Spotlight
Gênero: Drama, Suspense
Direção: Tom McCarthy
Elenco: Michael Keaton, Mark Ruffalo, Rachel McAdams, Brian d'Arcy James, Liev Schreiber, Stanley Tucci
Duração: 2h08min
Sinopse: Baseado em uma história real, o drama mostra um grupo de jornalistas em Boston que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças, causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos ocultaram o caso transferindo os padres de região, ao invés de puni-los pelo caso.








Spotlight é um filme dirigido por Tom McCarthy que conta a história da série de matérias jornalística que expôs o envolvimento e acobertamento de centenas de casos de pedofilia por parte da Igreja Católica na cidade de Boston e que acabou sendo a base para outros diversos casos similares ao redor do mundo. Com o desenvolvimento da trama, descobre-se que a trama é muito mais complexa e profunda, ao ponto do cardeal da cidade estar ciente dos fatos há 15 anos.


Há uma frase dita pelo personagem Mitch Garabedian quando ainda não é nem a metade do filme que resume muito de um dos aspectos que retrata (e muito bem, diga-se de passagem) e que consegue apreender-se na mente do público e fazê-lo refletir. Se é preciso uma comunidade para educar uma criança, também é preciso de uma comunidade para abusar de uma, em tradução livre. E isso se encaixa com perfeição no caso de Boston. O filme demonstra como a escolha de todas as pessoas que tinham o poder e a oportunidade de mudar a situação deixou-se na pseudo ignorância pelo "bem maior". Seja pelo fato de a Igreja Católica já ter proporcionado à cidade diversos avanços ou ainda pelo desejo de não reconhecer que membros da igreja com quem conviviam poderiam molestar crianças, no final a prática que se tornou padrão para a maioria dos advogados, policiais e grandes figuras políticas e jornalísticas de Boston era o olhar para o outro lado.

O desenrolar da trama acontece por um simples motivo: a chegada de um novo editor no jornal The Boston Globe.  Com o objetivo de reaproximar os interesses e a atenção do leitor da redação,  Marty Baron não se importa em burlar as "regras" de convivência estipuladas na cidade para publicar uma boa matéria. De maneira clara e simples, Spotlight trata dos alcances, consequências e necessidades de um trabalho jornalístico sério e comprometido com a sociedade, que, relacionado ao tema, passa a existir na equipe de jornalismo investigativo do Globe. Mais do que isso, o filme retrata as relações de poder das "grandes instituições" de uma sociedade e como a vida do cidadão comum passa a ser afetada por situações e posições que nada tem a ver com ele pessoalmente.

E isso é exposto pela equipe de reportagem intitulada Spotlight. Mike Rezendes, Sacha Pfeiffer e Matt Carroll, chefiados por Robby estão acostumados à autonomia para investigar os fatos que têm um grande impacto em Boston, e apesar disso é necessário a chegada de Baron, um judeu (e sim, isso é importante em uma sociedade quase que inteiramente católica), para que comecem a investigar os casos de pedofilia e o envolvimento do alto clero nos mesmo, um assunto proeminente. E é por ser algo de tamanha magnitude que o trabalho e as descobertas dessa reportagem passa a ter impactos tão grandes na vida pessoal dos jornalistas envolvidos, principalmente pelo fato de todos eles terem sido criados como católicos, e apesar de não serem praticantes é um abalo enorme para suas famílias e para as próprias estabilidades e percepções,  e ainda mais para aqueles que tinham filhos.


O roteiro do longa ficou nas mãos de Josh Singer e do próprio Tom McCarthy e eles fizeram um ótimo trabalho. Cada temática trabalhada recebeu a devida atenção, tratamento e retratação. Não houve exageros ao exprimir as dificuldades que os sobreviventes de abuso sexual encontram em seguir com a vida, em lidar com o dia a dia, ou a forma como era difícil para essas pessoas falarem sobre o que aconteceu, ou ainda como ninguém "queria ouvir sobre padres estuprando criancinhas" logo após o 11 de setembro... Mesmo aqueles assuntos que eram comum à todos os outros, como a utilização da fé como uma arma para aliciar crianças e adolescentes que não possuem uma estrutura emocional e econômica e o acobertamento silencioso e passivo das grandes instituições civis e estatais de tal crime, foram colocados na forma e na medida certa para fazer o espectador compreender a extensão e a importância da exposição do problema.


O roteiro do longa não só foi bem escrito como também foi incrivelmente bem aproveitado. A perceptível valorização de um desenvolvimento adequado é mais do que uma característica, é uma marca. E enquanto a história é desenrolada para os personagens, o mesmo vai ocorrendo com o espectador e a tensão e envolvimento vai crescendo. Mas a emoção não é algo banalizado, pelo contrário, também é aproveitada na medida certa. Com o tema que é tratado a coisa mais fácil da produção seria apelar para um drama ininterrupto, que levaria o público às lágrimas e, provavelmente, o manteria preso à trama até o final. Mas a conquista do espectador se dá de uma forma muito mais competente: com emoção e racionalismo no nível certo para fazer com que não só haja a empatia mas o impacto necessário para a reflexão do grande problema sistemático que a pedofilia dentro das religiões significa em uma sociedade.

Spotlight é, ao mesmo tempo, sutil e revelador, denso, notório, sensível e explicito. É um filme que soube muito bem trabalhar, tratar e respeitar o seu tema e as pessoas que foram afetadas por esse tipo de violência. E super mereceu os prêmios que ganho em diversos festivais internacionais, inclusive o Oscar de Melhor Filme e de Melhor Roteiro (estava torcendo muito na premiação *-*). Assistam, vocês não vão se arrepender, é maravilhoso e é um filme muito necessário.

Trailer




You Might Also Like

14 comentários

  1. Oii,tudo bem?
    Eu realmente não conhecia este filme e me surpreendi bastante, principalmente porque eu sou fã destes atores, e achei magnífica a ideia completa.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Eu não consegui ver esse filme a tempo do Oscar, mas ainda quero ver. Eu acabei deixando ele pra trás por tratar de um tema tão pesado quanto a violência infantil e eu não tava num momento muito bom pra lidar com esse tipo de temática. Mas o momento passou e assim que puder vou sim ver esse filme :)

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  3. Olá; estava curiosa para ver uma resenha do filme, já que para mim ele era um azarão na corrida pelo Oscar e me surpreendi ao ver que tinha sido o vencedor. Pelo seu post, parece uma trama muito bem costurada, já quero ver.

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Eu não conhecia o filme,mas lendo sua resenha, deu para ver que ele retrata um tema difícil, mas que é muito comum hoje em dia, infelizmente. Não sei se veria o filme, mas de qualquer forma, vou anotar a dica, quem sabe mais para frente eu não mude de ideia?!

    Beijos,
    Dai | www.cheirodelivronacional.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, achei a temática do filme bem interessante. Confesso que foi uma tremenda surpresa quando anunciaram o nome para melhor filme no Oscar desse ano, não que o filme não merecesse (como vou dizer isso se nem ao menos assisti), mas pelo fato de 'O Regresso' ter arrematado todos os outros prêmios dessa categoria em outros eventos. Isso só reforça ainda mais minha vontade de assistir :)

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  6. Vou ser bem infantil: Tô com esse filme,mas não assisti por raiva que ele venceu o Oscar de melhor filme e "O Regresso" não. hahaha ridículo né? mas fiquei super chateado porque achei o filme do Dicaprio impecável,enfim. Uma coisa não desmerece a outra. Vou assistir sim,principalmente depois de sua resenha.Adorei.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. A sinopse já foi suficiente para chamar minha atenção. Filmes e livros que retratam a realidade da hipocrisia de instituições religiosas chama minha atenção. E que resenha de cair o queixo, nunca tinha visto esse filme, sequer sabia da existência, mas certamente é algo que preciso ver.

    ResponderExcluir
  8. Um filme que realmente quero ver, com uma temática que deve ser discutida e que trouxe muita reflexão para todos. Incrível! Amei o trailer! ^^
    Beijos, Yasmin - www.yasminbueno.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Estou louca para ver esse filme! E olha, confesso que eu não tinha ouvido falar dele antes do Oscar, que feio né rsrs
    A trama da história que me chama a atenção, inovador e revelador!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  10. Eu achei a temática do filme interessante, mas fora isso ele não tem nada demais. A fotografia é muito simples e acabou não sendo um filme que me prendeu muito.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá tudo bem, Spotlight tem um enredo forte que atraia até quem não gosta de ver filmes, eu fiquei interessado depois de ver o Oscar, os atores são bem centrados o que deixa o filme ainda mais profundo. Espero ver em breve. Bjkas

    ResponderExcluir
  12. eu vi sobre esse filme quando estavam falando muito sobre os indicados ao Oscar...
    Certamente a temática me desperta interesse, e tão logo possa irei assistir...

    ResponderExcluir
  13. oi, tudo bem?
    eu ainda não vi esse filme, mas quero muito, pois o tema abordado é bem forte e precisa ser discutido.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Cara, o filme é bom, mas é uma coisa tããããão romantizada do que é o jornalismo hoje! E achei a atuação do Ruffalo tão exagerada... parecia um jornalista que toma cafeina na veia. Ficava tonta com o tanto que ele sacudia a cabeça. Achei absurdo ganhar roteiro adaptado e melhor filme. Apenas isso.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir

Popular Posts

recent posts

Flickr Images