Orgulho e Preconceito - Jane Austen

23:21

Editora: Nova Fronteira - Selo Saraiva Bolso
Nº de páginas: 376
Sinopse: Orgulho e Preconceito é o mais popular dos romances de Jane Austen. A jovem Elizabeth Bennet, que se julga desprezada por Darcy, jovem rico e orgulhoso, começa a se interessar pelo belo Wickham. Em lugar do simples enredo sentimental, o texto de Austen focaliza uma questão mais complexa em que se misturam a razão, o sentimento de gratidão e suas implicações e, especialmente, a desconfiança com relação às primeiras impressões.











Orgulho e Preconceito é um dos romances clássicos da autora britânica Jane Austen. Nele acompanhamos o desenvolver do relacionamento de Fitzwilliam Darcy e Elizabeth Bennet, uma relação que envolve uma boa dose de sentimentos conflitantes e, como a sinopse mesmo fala, diversas impressões, inclusive a primeira, erradas e confusas, preconceitos de classe, orgulhos cegos e persistentes das duas partes, além de diálogos inteligentes e sarcásticos.

A chegada do nobre Mr. Darcy na pequena cidade em que os Bennet vivem se dá graças ao desejo de seu amigo Mr. Bingley, que está a procura de uma propriedade no campo para adquirir. E os visitantes já despertam toda as atenções das mães da região, em especial da Mrs. Bennet, que tem quatro filhas para casar: Jane, Elizabeth, Mary, Kitty e Lydia. Jane e Elizabeth, as mais velhas, são as personagens centrais das tentativas de matrimônio. E apesar de Jane fazer sucesso, a sua irmã não chega a tanto, já que a ma vontade de Darcy para com qualquer um daquela localidade faz com que o primeiro contato dos dois seja um tanto quanto desastroso. E é em razão desse primeiro encontro que todos os outros passam a ser desastrosos e como o dúbio Wickham passa a fazer parte dessa relação.

É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro que possua grande fortuna deve estar à procura de uma esposa.

A história é narrada em terceira pessoa, mas acompanhando os acontecimentos a partir da perspectiva de Elizabeth Bennet. O narrador em si possui um tom irônico único que faz com que o livro tenha um caráter muito agradável e divertido. Já em relação ao tempo: é cronológico e é perceptível como a passagem do tempo é colocada e trabalhada de forma diferenciada dos romances que o leitor moderno e até mesmo dos romances de época que estão sendo lançados no momento. Mr. Darcy e Elizabeth passavam meses sem ao menos se encontrar e isso não fazia com que tudo "estivesse perdido" ou algo similar que ocorre entre os casais atuais. Pelo contrário, havia uma linha de continuidade que não era tão afetada pelo passar do tempo. 

Jane Austen consegue embutir em seus personagens um retrato crítico e reflexivo da sociedade do século XIX. O exemplo mais claro disso são os protagonistas Lizzy e Darcy, como não poderia deixar de ser. Eles são apresentados como dois lados de uma mesma moeda - e como o casal mais enervante e "shippavel" também. Um é tão orgulhoso como o outro, assim como são teimosamente arraigados em suas visões e maneiras particulares de viver na sociedade. E isso está presente em todos os momentos no livro. Elizabeth vem de uma classe mais baixa que Darcy e essa diferença acaba sendo algo muito importante dentro do relacionamento dos dois. Ele não consegue admitir que está apaixonado por uma pessoa que não está no mesmo nível que o seu ou ainda que vem de uma família tão problemática e vergonhosa como a de Lizzy ao mesmo tempo em que ela não consegue suprimir seu ego e orgulho feridos pela atitude superior que ele apresenta em relação à ela.

Eu teria perdoado a sua vaidade se ela não tivesse ferido a minha.
A caracterização é algo muito bem trabalhado e desenvolvido não só com os personagens como também com a época. Ainda que a família Bennet possua uma propriedade, ela e suas quatro irmãs não seriam consideradas as melhores oportunidades de casamento, já que por serem mulheres não podem herdar nada e essa machista lei britânica afeta todas as relações que a família tem. Os desentendimentos, desencontros e confusões entre Darcy e Lizzy são resultados diretos disso, além de outras configurações próprias da sociedade de que são produtos. O mesmo pode ser dito da relação entre Jane e Bingley e é igualmente prazeroso acompanhar o desenrolar e o crescimento das situações e dos personagens, apesar desses apresentarem uma quantidade bem menor de orgulho próprio e preconceito econômico-social.

Orgulho e Preconceito realmente vai muito além do romance e apresenta um retrato incrível da sociedade europeia do século XIX, ainda mais se levarmos em conta que o romance foi escrito na época. O tom sarcástico que interpõe dois personagens tão diferentes e tão semelhantes em situações de igualdade intelectual e de personalidade, além de evidenciar uma leitura crítica das relações econômicas, sociais, pessoais e amorosas, ainda possibilita o bom romance que qualquer leitor pode esperar ao pegar em mãos um livro de Jane Austen. É uma história incrível que te convence rapidamente a conferir tudo mais que a autora escreveu ou se envolveu.


A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras são muitas vezes utilizadas como sinônimos. Uma pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. Orgulho se relaciona mais a nossa opinião de nós mesmo, a vaidade, o que queríamos que os outros pensam de nós.


You Might Also Like

14 comentários

  1. Olá,

    adorei sua resenha e o fato de ter colocado passagens do livro. Confesso que ainda não li esse clássico e também não assisti ao filme, mas é algo que pretendo fazer em breve. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca li o livro, mas pelo filme eu gostei bastante da história e também de todo o tema debatido, principalmente por se tratar naquela época, que era tão fechada e patriarcal.
    https://nerdbookblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Eu tenho esse livro na minha estante, adoro o filme e adorei a resenha!
    Parabéns!
    Beijo
    Jana

    ResponderExcluir
  4. Orgulho e Preconceito foi a primeira obra que li de Austen e fiquei satisfeita com o que encontrei... personagens bem construídos, crítica social, um casal que a gente torce pra que dê certo no final... e olha que nem sou fã de romances... pretendo ler outros dela...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  5. Orgulho e Preconceito foi um dos livros que não consegui terminar. Amo o filme e a premissa da história, mas não foi pra frente. Sua resenha até me deu vontade de dar mais uma chance ao romance. Ótimo post!

    Bjs, Cass

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Sou louca para ler esse livro e conhecer esse tom sarcástico que todos falam. Acredito que tem sempre um gostinho especial de ler um romance histórico por uma autora que realmente viveu na época. Que bom que o livro foi além de suas expectativas, espero não me demorar para lê-lo.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. O que mais me cativou na história foi justamente o fato de ela ir além do romance. Na verdade, ao meu ver, o romance parece ter servido apenas como artifício para que toda a crítica e a retratação da sociedade londrina dessa época fossem feitas. Adoroo!

    ResponderExcluir
  8. Esse enredo é um dos mais maravilhosos que eu já li! Eu adoro como os personagens são construidos.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Esse livro é sensacional, na verdade, todos os da autora. Eu aprecio livros de época escritos na época, pois assim é impossível levar para o contexto narrativo, o discurso ideológico contemporâneo.

    ResponderExcluir
  10. Olá! Eu conheci este livro há uns dois anos por indicação de umas amigas e não consegui comprá-lo. Por isso foi minha primeira leitura em E-book. devorei o livro em dois dias porque era bom demais. sempre que vejo alguma resenha ou algo relacionado à obra meu coração pula aqui! heheh.

    Adorei sua resenha. Me fez reviver alguns momentos da leitura!
    Super dica! =)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Jane Austen = ♥
    Orgulho e Preconceito é um livro maravilhoso! Um dos únicos romances de que gosto justamente porque, apesar do romance em si, o livro fala sobre bem mais do que isso. A crítica social e o feminismo velado se encontram presentes de forma arrebatadora. Jane Austen sabia, de fato, fazer uso das palavras!

    ;*

    ResponderExcluir
  12. Meu primeiro contato com romances de época foi com Jane Austen, a escrita dela é um pouco mais complexa das que leio atualmente, e esse livro é um dos meus favoritos! Bjkas

    ResponderExcluir
  13. Oi Gabby, tudo bem? Adorei sua resenha de Orgulho e Preconceito! Esse é um dos meus livros preferidos da vida, ainda preciso ler os outros da Jane Austen para dizer se é o meu preferido dela também. Gosto do filme mas acho que ainda prefiro a minissérie da BBC com o Colin Firth, mas acho que sou suspeita porque adoro séries britânicas,rs.

    Beijos. ^_^
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada da Austen e Orgulho e Preconceito é um dos livros dela é que quero ler.
    Acho muito interessante essa característica dela de criticar a sociedade da época, bem como os persongens fortes que ela constrói.
    Adorei sua resenha, ela me deixou ainda mais animada para ler o livro. Acho horrível isso de a mulher não poder receber herança. Ainda bem que não nasci nessa época.

    Beeijos, Erica Regina
    Blog Parado na Estante / Fanpage Parado na Estante

    ResponderExcluir

Popular Posts

recent posts

Flickr Images