Belo Desastre - Jamie McGuire

17:26

Editora: Verus
Nº de páginas: 390
Sinopse: Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa e deseja evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.



O livro de Jamie McGuire que acabou originando uma série de outros livros, Belo Desastre, conta a história de Abby Abernathy e Travis Maddox, dois jovens que acabam em um relacionamento extremamente conturbado, intenso e controverso. A relação dos dois universitários começou de forma inesperada e muito diferente  do que qualquer um dos dois esperaria ou queria no momento em que se conheceram. Através da narração de Abby o leitor é inserido na confusa dinâmica desse namoro/amizade.

Enquanto Travis é conhecido em toda a universidade como o perfeito bad boy, Abby é quase que o completo oposto. Ele, além de ser um clássico cafajeste, sempre cercado de mulheres, é também um lutador do clube clandestino O Círculo, meio pelo qual consegue se manter financeiramente na faculdade. Já ela é o poster de garota certinha, ou pelo menos é o que ela deseja ser nesse momento de sua vida; tudo o que Abby mais deseja é conseguir fugir de seu passado e toda a confusão e desestabilidade que eram comuns em sua vida.

- Um brinde a ser a única garota com quem um cara sem nenhum critério não quer transar - exclamei tomando um gole de cerveja.
- Você está falando sério? - ele me perguntou, puxando a garrafa da minha boca. Como não falei nada, ele se inclinou na minha direção. - Em primeiro lugar... eu tenho critério, sim. Nunca transe com uma mulher feia. Nunca. Em segundo lugar, eu queria transar com você. Pensei em te jogar no meu sofá de cinquenta maneiras diferentes, mas não fiz isso porque não re vejo mais assim. Não é que eu não me sinta atraído por você, só acho que você é melhor do que isso.

E é exatamente por serem tão diferentes que o relacionamento dos dois é tão cheio de altos e baixos. É o que também faz com que primeiramente tentem manter uma certa distância e sendo assim se tornam amigos. Mas não demora muito para que os sentimentos dos dois ultrapassem o controle e a partir desse momento, Abby e Travis entram, então, em uma relação que nenhum dos dois parece saber lidar bem, mas que com certeza representa a intensidade de seus sentimentos um pelo outro.

Tal relacionamento complicado é algo presente em todos os aspectos do livro. E isso conseguiu ser um tanto quanto irritante com o passar da narrativa. Em nenhum momento da história há verdadeiros acontecimentos ou desenvolvimentos que não tenham, de uma forma ou de outra, alguma relação ou apresente consequências para o namoro/amizade de Travis e Abby. Essa falta de versatilidade na narrativa fez com que a leitura, por mais instigante que ela fosse no início, se torna cansativa do meio para o final do livro. Faltou a exploração de diferentes ângulos da histórias assim como dos outros personagens também.

Personagens, na verdade, não faltavam para serem explorados, mesmo que de forma secundária mesmo. A melhor amiga da Abby, America, e o namorado dela, Shepley, que também é primo de Travis, poderiam ter tido uma atenção maior durante o enredo. Ao invés disso o pouco que pudemos conhecer das personalidades deles gira completamente em torno dos personagens principais, quase como se eles não existissem autonomamente. Até mesmo o relacionamento amoroso dos dois acabava sendo diretamente afetado pelo relacionamento dos amigos. Cada briga ou discussão deles tinha, na verdade, mais a ver com Abby e Travis do que com America e Shepley.

Falando em coisas que são muito irritantes durante a leitura desse romance da Jamie, é necessário citar a construção narrativa do tempo e do espaço. Apesar de seguir a ordem cronológica, as transações de tempo e espaço no texto foram feitas de forma muito desleixada. Não há o desenvolvimento de como os personagens chegaram em certo local. Em um parágrafo eles estão sentados no sofá do apartamento e no outro estão estacionando em algum lugar. E isso ocorre em boa parte dos momentos do livro. É realmente irritante.

Entretanto, por mais que Belo Desastre possua tais falhas em sua composição de elementos literários e narrativos é inegável negar como o livro consegue prender o leitor à Abby e Travis e ao relacionamento deles. Grande parte do motivo dessa história conseguir manter o leitor interessado é o Travis. Ele consegue ser um personagem extremamente contraditório. Sua atitude machista e seus instintos para arrumar briga poderia fazer com que ele fosse facilmente odiado, entretanto, essa mesma postura faz com que muitas vezes ele seja meigo, fofo e que conquiste facilmente o coração dos leitores. No que diz respeito à Abby as coisas já se complicam um pouco, pois por mais que sua personalidade forte e decidida me faça gostar dela sua inclinação para o drama, que à vezes não é nem um pouco necessário, acaba fazendo com que ela possa se tornar um pouco irritante.

[...] Eu sei que a gente tem problemas, tá? Sou impulsivo, esquentado, e você me faz perder a cabeça como ninguém. Num minuto você age como se me odiasse, e no seguinte como se precisasse de mim. Eu nunca faço nada direito, eu não te mereço... mas, porra, Abby, eu te amo.

A construção destes dois personagens assim como a habilidade de Jamie McGuire de prender o leitor a cada página do livro em boa parte da narrativa faz com que Belo Desastre seja um livro regular com uma história igualmente regular. Talvez para aqueles que realmente são fãs do gênero Young Adult possam gostar um pouco mais, mas de qualquer forma, espero que os próximos livros que foram originados a partir desse mostrem uma melhora na escrita e no desenvolvimento narrativo.


You Might Also Like

17 comentários

  1. Eu sempre vi resenhas sobre esse livro, mas particularmente eu nunca tive vontade de ler e eu não sabia exatamente o motivo. Gostei da sua resenha, porque ela é bem sincera. Acho que é um livro pra quem gosta de YA mesmo... Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  2. Essa coisa de "relacionamento complicado" não tá legal. O livro não me atraiu e meu humor pra histórias assim está lá em baixo hoje, kkkk.

    ResponderExcluir
  3. eu já não curto new adult, ainda mais sendo uma leitura cansativa, que não dá margem pra outras abordagens na trama... dessa vez, deixo a dica de leitura passar...

    ResponderExcluir
  4. oie como vai?
    eu nunca tive vontade e nem animo de tentar ler esses livros e sabendo que a leitura é cansativa dá ainda menos vontade.

    ResponderExcluir
  5. Ola, tudo bem? Eu amei Belo Desastre, mas achei desnecessário o segundo livro, porque é a mesma coisa na visão do Travis, eu acharia melhor fazer um livro só com duas narrativas. Mas convenhamos, impossível não se apaixonar pelo Travis Maddox. Gente e imaginar que a Jamie criou o personagem baseada em um amigo de faculdade, quero ir para esta faculdade.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu simplesmente amo esse livro, sou apaixonada pelo Travis e pela escrita da Jamie. Não sei se posso concordar ou discordar dos pontos apresentados porque li esse livro há muitos anos atrás e não me lembro direito as falhas e afins. Sei que amei o primeiro livro e achei uma bela bosta os outros dois. Em compensação, o spin-off Bela Redenção é ótimo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Eu tenho bastante curiosidade de ler Belo Desastre, mas ainda não tive oportunidade de realizar essa leitura.
    Uma pena você ter encontrado tantas falhas na trama! Espero que caso leia os outros livros, goste mais deles...

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá, eu sempre tive curiosidade em ler esse livro, apesar de eu não ser muito fã do gênero, mas não sei se eu leria ele no momento, talvez mais para frente eu dê uma chance e vejo o que acho dele.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  9. Belo desastre é um livro que ainda não tinha tido a oportunidade de conhecer até ler sua resenha hoje, estarei buscando saber mais quem sabe não entre nas minhas metas.

    www.saotantas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Belo Desastre é um livro que eu li há alguns anos atrás e amei. Tanto a história, quanto os personagens me encantaram e me deixaram fascinada por esse universo que eles criaram.
    Esse ano quando eu fui ler novamente, minha visão já foi um pouco diferente. Mesmo ainda gostando da história, não foi mais aquela euforia que eu sentia antes.
    Sua resenha conseguiu transmitir um pouco do que eu senti lendo pela segunda vez.

    Gostei muito!
    Beijoos
    Bárbara
    Toca dos Livros

    ResponderExcluir
  11. Li esse livro há um bom tempo e Travis se tornou meu amorzinho, na época, lembro de ter tido um pouco de abuso dos dois pelo grude, mas assim como você disse a gente acaba vidrado na leitura pelo jeito do Travis e é muito bom.
    Preciso terminar a série.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  12. Oii, tudo bem.
    Preciso ler esse livro, um monte de gente já me recomendou e parecer ser bem no estilo que gosto, mas tenho tantos livros na frente e não sei quando vou comprar.
    Parabéns pelo post ficou ótimo.
    Bjs Mary!
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oii, tudo bem.
    Preciso ler esse livro, um monte de gente já me recomendou e parecer ser bem no estilo que gosto, mas tenho tantos livros na frente e não sei quando vou comprar.
    Parabéns pelo post ficou ótimo.
    Bjs Mary!
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Eu amo esse livro! É um dos meus favoritos no gênero. O meu fascínio todo por ele se deve por causa do Travis e todo a contradição e intensidade que ele apresenta ao longo da narrativa. Já li os três primeiros livros da série e estou ansiosa pelos próximos! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  15. Sobre o amor do livro é maníaco e psicótico. Isso não é amor!!! É posse! Talvez por ter passado por uma situação ruim na minha vida com isso e na minha área de estudo ter lido muito sobre crimes passionais que informo: Travis tem o perfil total de quem cometerias um crime por amor. E isso me assustava enquanto lia. Já imaginou se Travis mata a Abby e depois se mata. Romeu e Julieta do tempo moderno? Pra mim é assustador. Em até que ponto podemos assumir que é reflexo do amor o ciúme, posse, obsessão, perseguição, machismo de Travis? É uma linha muito fina e talvez ele pudesse ultrapassar e não podemos ignorar isso porque ele é fofo em alguns pontos e especialmente porque ele é um gato.
    Adorei sua resneha honesta.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oie, tudo bom?
    Eu tenho muito receio com esse livro porque já li resenhas positivas e negativas. O Travis tem um perfil que não me agrada e um tipo de relacionamento que costuma me irritar. Apesar disso, é um livro que tenho curiosidade para conhecer, mas não crio muitas expectativas.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Popular Posts

recent posts

Flickr Images