Pedro Fonseca

18:50


Pedro Fonseca é um fotógrafo brasileiro com uma série de projetos muito legais e interessantes, mas o que será tratado aqui chama-se A Olho Nu, que constitui em ensaios de mulheres despidas para assim expor sua identidade, sentimentos, desejos e histórias. Cada ensaio mostra a mulher em sua forma mais natural e a vontade, conseguindo, incrivelmente, dispensar todo o apelo sexual que as imagens poderiam despertar para evidenciar a essência da mulher com o toque sensual que cada uma merce assim como a mensagem que querem passar.


Ray Micalosky
Perguntou baixinho. Quanto tempo é preciso para sermos exatamente o que desejamos ser? A resposta não veio, pois não havia professoras. Nem padres. Pastores. Benzedeiras ou mães de santo. Deputados. Animadores de picadeiro. Uma dona de bordel ou um técnico de futebol. Ao menos um prático, um piloto ou um palestrante daqueles que usam Power Point. Nenhum intermediário – ou líder possível – para a sua urgente necessidade de conexão com o divino, ali, no seu momento maior de dúvida. Perguntou novamente. Quanto tempo é preciso para que eu seja, realmente, essa que quer ver-se mulher? Nenhum ensinamento pré-fabricado, ou uma apostila velha sobre a construção da mulher no século tal. Nenhum manual sobre o exercício do poder feminino sobre as pequenas coisas machistas de uma sociedade doente. Perguntou uma vez mais, mais baixo – era quase silêncio, para si própria. De quanto tempo preciso para me libertar do que querem que eu seja para, enfim, ser o que eu mesma quero? No prédio vizinho, homens talhando um prédio, diminuindo mais um horizonte possível. Olhou para dentro de casa. Era cedo. Ainda tinha tempo suficiente para entender que a mulher que viu refletida no espelho estava para chegar a qualquer momento. Tomou um chimarrão e saiu para comprar flores. Deixou um recado em cima da mesa de jantar: ao voltar, serei ela, essa mulher. Voltou e era. 



Dani Peraze
Havia essa linha fina. Um fiapo que quase se deixa escapar ao olhar. Um cílio delicado, caído. Como se deus tivesse triscado a terra sem querer. Acidente divino. Você para – coisa que não faz desde quando mesmo? – e fica para ver. Mais que uma pausa, menos que um regresso. Para e olha. Permanece inerte diante da quase invisível fronteira. Mais estreita que a linha da vida na palma da sua mão, esta outra, linha de que será?  E antes que te caia mais um pensamento, pula. Vertiginosamente, despenca e antes que morra de olhos fechados, abre os pensamentos para tudo que ainda não veio e desenha uma história de enredo conhecido. Um filho, uma casa, uma África, um entardecer, um filme, uma dança a dois na chuva, ouve os tambores de Nazaré do Bruno, ouve o pandeiro descompassado, vê-se no reflexo da queda – veste a cor framboesa – e fecha os olhos porque a fé cega. Acredita que o fim dessa vida é a próxima, reza para um santo que cochicha safadezas, abre os olhos para ver a queda com os próprios medos e dá de cara com a linha, o fiapo, o cílio, o trisco de deus crescendo tão rapidamente que transforma-se num gigante caudaloso, livre e corrente. Um rio sem pedras, profundo, frio. Cai e deixa-se ir até o fundo. Empurra o chão de areia dura, estica o corpo submerso como uma flecha vertical e segue apenas com a força do impulso até encontrar novamente com o alívio de poder respirar. Deita suavemente no colchão da superfície, tudo ao mesmo tempo, cada coisa de uma vez: as costas se acomodam, os ombros descansam, os braços abrem, os olhos fecham, o pescoço dorme e finalmente, da cintura para baixo, até o extremo dos pés, seu corpo deita por completo. Você é rio. E rio não para. Segue teu curso, menina-adulta. Ainda que não saiba nadar. E abre os olhos. A linha que se vê, agora, é o céu.



Ana Becker
Eis que o normal, o que se convencionou ser, por aí pelo mundo, é colocar as coisas na mala antes de partir. Quando invertemos o mundo, sem aviso, estávamos distraídos de nós mesmos. As malas, vazias, ocupam um espaço no canto do teu pensamento. E olhas para elas sempre que podes. Olhar rápido, aquele que tu já não percebes – mas quem te olha, vê.  Penso em escrever uma história curta sobre isso. Capítulos. E escrevo.Capítulo ITu tentas entrelaçar o caule estreito – enquanto ele mesmo entrelaça teus braços e pernas – e, assim, fazem uma nova forma surgir (e uma nova vida: pés descalços no chão, cabeça no corredor de vento que perfura os edifícios ao redor, o horizonte é o teto, o céu).Capítulo IIAndré sorri diante de si mesmo, alegria incontida, espaço aberto, sorriso que acompanha o movimento. Te olha com cuidado e deixa o pensamento escapar, alto, visível. Continua o que está fazendo, porque o que está fazendo é ser feliz.Capítulo IIIOs carimbos silenciam ao entrarmos. Te respeitam, te observam, torcem para que sejam pegos pelas tuas mãos e sigam para a almofada. Mas assim que tu fechares a porta, nem sabes, eles irão falar ininterruptamente. São a tua voz que ecoa.Capítulo IVUma nuvem chove pequena numa caneca, na parede; uma água chove no copo, silenciosamente gelada; uma lâmina de barbear chove sangue de artista.Capítulo VHá o momento de deitar o corpo e fazer-se dormir, ou sonhar. A cama chama, a rede clama. Não dormes, é cedo. Apenas sonhas mais e mais.E não é o fim: a história vai começar. A mala segue viagem vazia e voltará cheia. Como deveria ser.




Vocês podem conhecer um pouco mais sobre esse e outros projetos do Pedro através de seu site (acesse aqui); vale muito a pena. Espero que vocês tenham gostado da minha pequena seleção de imagens e não se esqueçam de deixar um comentário aqui em baixo com as suas impressões. Até a próxima!

You Might Also Like

23 comentários

  1. Olá,
    adorei o post! O trabalho desse fotografo é muito interessante. Fiquei tão maravilhada com as fotos e principalmente (e mais ainda) com cada pequeno texto. Chamei minha mãe e padrasto para ler a eles.
    Mas me referindo inteiramente ao primeiro: acho que é o que mais define as mulheres. Somos quem podemos ser, sonhos que podemos ter. (8
    Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Acho muito bacana trabalhos assim, mesmo que acabe sendo de certa forma um pouco chocante...

    beijos!
    http://www.amigadaleitora.com/

    ResponderExcluir
  3. Oii.
    Achei muito legal esse trabalho.
    Admiro muito a coragem e a forma de pensar dessas mulheres!

    Beijos ;*
    Proseando com uma BibliophileFacebook

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu amo fotografia, mas sou péssima em tirar fotos de pessoas e admiro muito quem consiga, principalmente quando consegue fazer um trabalho tão lindo quanto esse.

    Beijos
    http://entaotudoaconteceu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Adorei o projeto desse fotógrafo, captou bem a essência feminina, adorei!

    Beijos,
    Fernanda
    www.oprazerdaliteratura.com.br

    ResponderExcluir
  6. OLá!!

    Eu não teria coragem de ser fotografada desse jeito :O, maaas achei linda as fotos *-*
    Eu super fã de fotografia, mas não sei tirar fotos tão liiindas assim, eu tenho raiva até hoje de não ter tido aulas decentes na faculdade.


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  7. Realmente um post muito interessante e diferente. Bom trabalho.

    http://antarktos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Lindas fotos!!!
    É um trabalho bem interessante esse..kkk
    Parabéns pelo post!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito dessa postagem! Sou fotógrafa e achei esse projeto lindo lindo! Fotos de qualidade e que expressam muito bem a proposta de "A Olho Nu".

    Beijinhos!
    www.citacaonumclick.com.br

    ResponderExcluir
  10. Que lindas as fotos, realmente ele dá um outro olhar para a nudez. Nada apelativo, maravilhosa as fotos.
    Beijos
    Porão da Liesel

    ResponderExcluir
  11. Olá :)
    Acompanho essa série de fotos desse fotógrafo e acho o máximo.
    Amo o poder que ele tem de mostrar que a mulher é mais que um símbolo sexual e que a nudez é linda e não apenas excitante.
    Amei a postagem :)

    Beijocas,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá.
    Confesso que nem deu pra ver nada desse post porque assim, a família ta toda por aqui, passando de um lado pro outro atrás de mim. Tive que descer correndo pra ninguém ver as fotos, se não a situação ficaria meio complicada pro meu lado rsrs.
    Que susto eu levei, hein. É uma campanha pr amostrar o corpo feminino? Tipo... Não entendi bem isso e o problema é que não dá pra ler aqui...

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi.
    Já conheço esse trabalho e acho lindo de viver! A poética e natureza selvagem, além dos arquétipos, tão bem representados e traduzidos em beleza. Tem um outro projeto, similar, que também adoro, espero ver mais coisas do tipo por aqui...
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem? Gente, coisa mais linda esse post! <3 Sou apaixonada pelo trabalho dos fotógrafos, ainda mais desses que conseguem captar a beleza e a sensibilidade ao mesmo tempo! Fotos lindas, trabalho lindo, projeto lindo! Todas as mulheres são lindas e, apesar de haver nudez, não há nada de explicitamente sexual nelas. As que mais gostei foram as da Ray Micalosky, a segunda foto tá um primor! *-*

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Gostei da ideia do projeto, principalmente por juntar texto e foto. E fiquei agoniada demais com esse piercing no mamilo, senti dor só de ver. hahahahah
    Minhas fotos preferidas foram da primeira modelo, a Ray. Ficou delicado, sensual na medida certa.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  16. Oláá
    É um projeto muito legal e as fotos ficaram ótimas, quem dera eu saber fotografar tão bem, pois acho uma coisa muuuito linda, adorei o post ;)

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/
    Catharina
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá, as fotos realmente são capazes de expressar muitas palavras, as imagens são lindas e os textos então, Ual! Foi ótimo conhecer esse projeto, as vezes me sinto meio desligada com as coisas por conta da correria da minha vida, é ótimo ter blogs que divulguem projetos como esses. Parabéns!
    Beijos
    cheireiumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oiii
    Sempre adorei fotografia, queria ter o dom para a coisa hahaha
    Adorei o post e as fotos... Elas estão simplesmente incríveis.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  19. Olá tudo bem?
    Não entendo muito de fotografia, mas achei essas fotos lindíssimas. Sucesso ao fotografo. Bjus!!
    http://lendoaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia o Pedro e embora não sele jeito para fotografia, amo ver coisas sobre esse tema, por isso fiquei bem animada com seu post, mais ainda porque as imagens estão simplesmente lindas. Enfim, achei super bacana o post, ótima seleção de imagens ;)

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o fotógrafo, mas amo fotografia e essas estão muito bonitas, pela simplicidade que diz muito.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  22. Oi, não conheço muito bem esse mundo, mas as fotos estão lindas :D

    ResponderExcluir
  23. Oie, tudo bom?
    Gostei principalmente das últimas fotos. Acho bastante corajoso quem tem a capacidade de se despir dessa maneira e o trabalho fica incrível.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Popular Posts

recent posts

Flickr Images